segunda-feira, 29 de abril de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 25 - Por Luiz Domingues


Ainda falando sobre a prática das dublagens de TV...
Pois é... passam mil coisas na cabeça, do tipo : estou fazendo papel de bobo; estou sendo ridicularizado; ninguém vai levar a minha música a sério, vendo-me fazer esta palhaçada...
Mas, uma coisa precisa ser levada em consideração: muitas pessoas, para não dizer a maioria, quando olham um artista dublando, nem pensam nesses questionamentos, e curtem a música, apreciam ver o artista etc.

A questão da praticidade dos técnicos de TV, é muito discutível, levando-se em consideração que nas décadas de cinquenta e sessenta, a TV era incrivelmente mais tosca, com uma tecnologia precária, e no entanto, abundavam programas de TV com música ao vivo e de qualidade. Portanto, é uma tremenda de uma desculpa esfarrapada...
São poucos que os questionam esse formato, e no final das contas, apesar dos pesares, eu preferia mil vezes fazer uma dublagem, do que não aparecer na TV, e ficar anônimo com minha dignidade fazendo-me companhia...

Como isso é muito relativo, no entanto, esse conceito eu tinha naquela época, pois hoje em dia, acho que a dignidade artística vale mais do que aparecer fazendo essa micagem em programas popularescos, que não acrescentam-lhe nada.
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário