sexta-feira, 26 de abril de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 23 - Por Luiz Domingues


Foi num domingo à noite, que me encontrei com o pessoal da banda, na Rodoviária do Tietê.

Chegamos em Curitiba no início da manhã, e seguimos para o hotel.
Descansamos na parte da manhã, e à tarde já fomos ensaiar no palco do Teatro Paiol, que gentilmente cedeu o espaço nesse período, para que ensaiássemos.

No dia seguinte, meu primeiro compromisso oficial com a banda : Fizemos uma apresentação dublando, e seguida de entrevista num programa vespertino da afiliada do SBT em Curitiba. 


Infelizmente, não anotei nada desses programas de TV e rádio que fiz com o Língua, portanto, ficarei devendo o nome, e as datas precisas da maioria que fiz.
Independente disso, foi uma sensação estranha, pois foi a primeira vez na vida que eu fiz a famigerada "dublagem". 

Foi a primeira de uma série, e logo faria isso bastante com A Chave do Sol, também.

E é bom lembrar que eu já tinha aparecido na TV algumas vezes anteriormente, mas sempre tocando ao vivo, todavia, essa foi de fato a minha primeira vez com a prática constrangedora da dublagem.


Me senti meio ridículo, ainda mais dublando algo que eu não havia gravado, pois todas as músicas gravadas que dublei com o Língua nesse período, eram obviamente do LP, onde quem gravou o baixo, foi o Luis "Risada" Lucas.


Assisti a estreia da banda à noite, nessa temporada no Teatro Paiol de Curitiba, e essa foi a rotina durante a semana toda, com ensaio à tarde, e show à noite para a banda.

Eu fiz pequena participações em alguns shows, apenas para ganhar um pouco de entrosamento com a banda, mas sem comprometer o andamento do espetáculo, que prosseguia com a tradicional troca de roupas e intervenções teatrais.
Meu foco era o show novo, que só estrearia em 15 de novembro, no teatro TUCA (Teatro da Universidade Católica) em São Paulo.

E se na parte musical eu me sentia razoavelmente seguro com as músicas saindo quase boas, sem eu precisar olhar anotações de harmonias, eu estava assustado em não decorar as marcações de teatro, trocas de roupas etc.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário