segunda-feira, 25 de março de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Jungô) - Capítulo 30 - Por Luiz Domingues


Assim que chegamos ao ensaio, no dia seguinte, e não demonstrando nada durante o percurso que fizemos juntos até o local, Cido pediu a palavra, e surpreendeu a todos, comunicando-nos que estava saindo da banda. 

Sua alegação era a de que pensou em casa na última noite, e chegara à conclusão de que precisava parar de tocar por um período, e se dedicar o dia inteiro ao estudo de seu instrumento, visando melhorar seu nível técnico, e assim se sentiria mais realizado (???).

Tudo bem em ter esse pensamento, mas e nós ???



Jogamos fora um mês de trabalho, na verdade mais, pois um mês foi o meu período na banda, mas eles já vinham juntos desde 1979, acompanhando Paulinho Boca de Cantor, e Eliete Negreiros, fora o tempo que compuseram aquelas músicas instrumentais todas.
Fiquei muito desapontado com a atitude volúvel, e pouco colaborativa dele, mas nem senti muito pela banda, pois aquele som apesar de sofisticado, não era a minha praia, e os membros, veladamente, me achavam fraco e deslocado ali.

A banda se "desmilinguiu" com essa notícia, pois ninguém mais queria continuar, ter que arrumar um novo baterista, e ensaiar tudo de novo, após um mês preparando um novo baixista, no caso, eu mesmo.

E assim terminou a história do "Jungô", melancolicamente, numa tarde de agosto de 1980.

Eu tocaria algumas vezes com o Renato Consorte Filho em 1982, visto que num outro trabalho avulso que fiz, novamente coincidiu dele aparecer na minha trajetória.

Mais para frente, mencionarei esse trabalho, que consistiu em acompanharmos uma cantora/compositora de MPB.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário