sexta-feira, 1 de março de 2013

Autobiografia na Música - Terra no Asfalto - Capítulo 17 - por Luiz Domingues

Essa foi uma das histórias mais engraçadas do Terra no Asfalto !!

Passamos do susto ao relaxamento total, num piscar de olhos.

Não me lembro do nome do PM. Nunca mais o vimos, apesar dele ter deixado contato para nos auxiliar em qualquer situação, incluso oferecendo-se para fazer segurança particular, como bico.



A apresentação, apesar desse stress da demora em começar, foi muito boa, e o gerente acabou se acalmando, e sinalizando que poderíamos agendar mais apresentações.

Mas esse contato só seria concretizado a partir da reencarnação do Terra no Asfalto, com nova formação, no final de 1980.

Isso porque o Mu acabara de aceitar uma oferta irrecusável para a sua carreira, e o Cido Trindade também estava de saída.

No caso do Mu, a Celina Silva, esposa do tecladista Sérgio Henriques, o havia indicado para ser guitarrista/violonista da banda de apoio ao espetáculo teatral e musical "Calabar", peça de Chico Burque de Hollanda, e que estrearia logo a seguir, em abril de 1980, tendo a atriz/cantora Tania Alves, como protagonista.

O Mu não pensou duas vezes, e aceitou a oferta, visto ser qualificado para o trabalho, e acima de tudo, ser uma grande oportunidade para a sua carreira.


O cachet fixo era excelente, fora a quantidade de contatos e portas que abriria, conhecendo tanta gente do mainstream da música, e meio teatral/TV.
Logo na estreia, para vocês terem uma ideia, o Chico Buarque em pessoa estava assistindo, além de vários artistas famosos da música, e do teatro.

E o Cido, que paralelamente ao Tato Fischer, estava também desde o segundo semestre de 1979, tocando na banda de apoio do ex-vocalista dos Novos Baianos, Paulinho Boca de Cantor, recebeu um convite para continuar nessa banda, agora acompanhando a cantora emergente, Eliete Negreiros (já relatado, também, no capítulo dos "Trabalhos Avulsos").


Com essas perdas, o Terra no Asfalto esmoreceu, e passou por momentos difíceis nos meses seguintes.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário