sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Tato Fischer) - Capítulo 4 - Por Luiz Domingues

Então, a estreia foi no dia 6 de novembro de 1979, com exatos 13 pagantes na plateia. 

No dia seguinte, 7 de novembro de 1979, uma quarta, 16 pagantes.

Lembro-me que no segundo dia, o Tato, indignado com o público da noite anterior, foi filipetar na biblioteca anexa ao Teatro, e ali eu aprendi uma lição.
Isso porque ele me pediu ajuda para entregar filipetas, e quando estávamos na biblioteca, a bibliotecária chefe nos perguntou como havia sido a noite anterior, e eu respondi ingenuamente que havia sido "fraca". 

O Tato ficou bravo comigo e me deu uma dura depois, dizendo que eu jamais deveria falar a verdade numa questão assim. "Para o artista, sempre foi maravilhoso...aprenda isso".

No terceiro dia, quinta, 8 de novembro de 1979, 23 pessoas pagaram ingresso. 


Aí na sexta-feira, dia 9 de novembro de 1979, ficamos animados por ver se formar uma fila na bilheteria. 

Foram 89 pagantes, e muito maior entusiasmo, com aplausos e assovios.

No sábado, dia 10 de novembro de 1979, quando pensamos que iria chegar ao clímax, apenas 55 pagantes. Já no domingo, dia 11 de novembro de 1979, 17 pessoas pagaram ingressos.

O show tinha uma musicalidade legal. 

As canções eram boas, o Tato tinha uma ótima voz, e com técnica, visto ser professor de canto, entre outras atividades.
Mas seus trejeitos eram exagerados em alguns momentos. 

Não foi uma ou duas, mas várias vezes, flagrei pessoas rindo em determinadas partes onde ocorriam tais excessos. 

Por exemplo, de última hora , às vésperas da estreia, resolveu acrescentar uma música do Gilberto Gil, chamada "Super-Homem, a canção". Nessa canção dava uma exagerada na performance, por motivos óbvios. 

Outro ponto era logo na terceira música, onde simulava um strip-

tease, e ficava só com uma malha de ballet feminina. Nesse ponto, ficava com um gestual lascivo, sentando-se numa poltrona cênica, cruzando as pernas como mulher etc etc.


 
Nada contra, mas também nada a favor. Nós três da banda, achávamos exagerado, mas o show era dele, o que poderíamos fazer ?

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário