quarta-feira, 13 de junho de 2012

Homo Anonymos - Por Luiz Domingues

É apenas mais uma vida,

É só uma estória esquecida.

Qualquer dia perdido,


Numa folhinha envelhecida.

Um instante qualquer,

Um homem, uma mulher na multidão,

Que não sabe o que quer...

Poema criado em 1982 e guardado num caderno velho, tal como a folhinha de calendário citada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário