segunda-feira, 7 de maio de 2012

O Orifício - Por Julio Revoredo


No início, um homem.

Obuducto artifício.

Fosmeo, obumbra a umbra, que inveja

E que é o vicio da luz.

Não mais um homem, não mais o homem.

Agulha que fagulha, que se anula,

Para trazer à tona, o nítido nulo, orificio





Julio Revoredo é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Poeta e letrista de diversas músicas em que compusemos juntos para bandas onde toquei, como A Chave do Sol, Sidharta e Patrulha do Espaço. É também grande conhecedor da história do Rock e especialista na carreira do guitarrista Eric Clapton. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário